Hospitais brasileiros vão testar droga contra malária para tratar coronavírus.

Saúde

Terça-Feira, 24 de Março de 2020

Enquanto o mundo corre atrás de uma vacina, o Hospital Albert Einstein e a Prevent Senior anunciaram que vão testar o uso do medicamento hidroxicloroquina – variante da cloroquina, usada no tratamento da malária – para tratar pacientes com o novo coronavírus.

O Hospital Sírio Libanês informou que também foi convidado pelo governo federal para participar da pesquisa.

“Hospitais de excelência, dentre eles, o Hospital Sírio-Libanês, foram convidados pelo Ministério da Saúde a desenvolverem uma pesquisa científica sobre o uso destes medicamentos no combate a  COVID-19”, informou em nota ao SóNotíciaBoa a assessoria do hospital.

A Sociedade Beneficente Israelita Brasileira Albert Einstein informou que prepara um protocolo de pesquisa para testes sobre a eficácia do medicamento.

Autorização da família

A revista Exame divulgou que a Prevent Senior – um sistema de saúde hospitalar voltado para idosos – anunciou que usará em caráter experimental a cloroquina e o antibiótico azitromicin, com autorização das famílias, em pacientes com o quadro confirmado de contágio pelo novo coronavírus.

“Os medicamentos apresentaram resultados positivos em estudos realizados por pesquisadores da China e da França. No entanto, ainda faltam estudos científicos e testes clínicos para que as drogas sejam consideradas seguras para tratamentos em ampla escala de casos da Covid-19”, informou a Exame.

A assessoria do Sírio Libanês informou em nota que “A hidroxicloroquina e a azitromicina têm sido analisadas como potenciais tratamentos para a covid-19. Até o momento, não há evidência científica suficiente que comprove a sua eficácia.

Daí a importância do teste que será feito no Brasil.


Com informações do AlbertEinstein e Exame


Últimas Notícias
Guanambi - Bahia -